Medidas de privacidade que não vão dificultar sua vida

Há alguns anos um assunto começou a chamar muito a minha atenção: privacidade online. Fui ficando cada vez mais incomodado com o fato de grandes empresas de tecnologia, como Google e Facebook, saberem tanto da minha vida e vi que não era o único. Havia nascido um movimento “pró-privacidade online” que deu origem a diversos sites com dicas de como proteger a sua privacidade online e listas de ferramentas alternativas às opções mais comuns. Alguns dos principais são Spread Privacy, ThinkPrivacy e PrivacyTools.

Realmente não é um caminho tão fácil a ser trilhado e muitos questionam as razões para este tipo de preocupação, sendo o “não tenho nada para esconder” um dos argumentos mais usados. No entanto, se você assitiu ao documentário “O Dilema das Redes” da Netflix, entendeu os riscos que este “Big Brother Massivo Online” pode acarretar (se não assistiu, assista!).

Hoje gostaria de dar algumas dicas de como dar os primeiros passos para proteger sua privacidade online com medidas que não vão tornar sua vida mais difícil. A ideia é que este seja o primeiro de uma série de artigos sobre privacidade online, relatando minhas experiências pessoais.

Antes de partir para minhas recomendações, assista ao vídeo abaixo:

Baseado no vídeo acima, seguem minhas recomendações:

  1. Navegador web: recomendo o Firefox no desktop e celular, pois ele já vem configurado, por padrão, para bloquear rastreadores que existem na maioria dos sites que você acessa sem atrapalhar sua navegação;
  2. Site de buscas: para a maioria das pessoas recomendo o Startpage, por ter os mesmos resultados do Google, mas eu pessoalmente uso o DuckDuckGo por ter mais funcionalidades que considero úteis (mas lembre-se que estes buscadores não sabem nada sobre você, então não espere que uma busca como “pizzaria perto de casa” retorne algum resultado útil :D );
  3. Gerenciador de senhas: recomendo o Bitwarden como gerenciador de senhas, por ser, além de muito bom, open source;
  4. Autenticação de 2 fatores (2FA): recomendo o Authy para geração de OTP, pois ele tem sicronização na nuvem facilitando a troca de aparelho celular ou caso o perca;
  5. Contas online: recomendo o aplicativo Jumbo para te ajudar na desativação de opções não privativas das suas contas online;
  6. Sistema operacional (opcional): OK, este aqui não é uma transição tão fácil quanto as anteriores (por isso coloquei como opcional), mas eu recomendo o Linux e você pode se surpreender o quanto ele é fácil de usar e compatível com seu hardware (um grande problema no passado). O Linux, diferente do Windows, possui várias “versões” (chamadas distribuições) e, para iniciantes no sistema, minha recomendação ainda vai para o Ubuntu.

Se você busca um pouco mais de privacidade online, estes são os primeiros passos a serem dados e não vão atrapalhar em quase nada no que faz atualmente e, caso queira que eu me aprofunde em algum assunto citado neste artigo, utilize a sessão de comentários.

Te vejo no próximo artigo desta série sobre privacidade online!