Participe do II GNUGRAF!!!

Nos próximos dias 22 e 23 de agosto acontecerá no Rio de Janeiro a segunda edição do evento GNUGRAF. Este é um evento focado em profissionais e entusiastas das áreas de multimídia (como produção de áudio, produção de vídeo, edição de imagens, edição gráfica e animação 2D e 3D), onde serão apresentadas as opções baseadas em software livre. Na edição deste ano contará com algumas novidades, como os 12 minicursos que acontecerão simultaneamente com as 16 palestras e um espaço aberto com um projetor onde o próprio público pode fazer palestras que não estão no cronograma oficial.

Para maiores informações acesse o site https://www.gnugraf.org/ e não perca esta oportunidade de aprender a usar ferramentas de qualidade, gratuitas e livres, além de poder conhecer mais sobre software livre (palestra que eu apresentarei)!

Ganhando tempo livre com Clearcase

Qual sistema de controle de versão você usa? Subversion? Git? Você deveria usar o Clearcase – você terá muito mais tempo livre! Se você conhece a “velocíssima” ferramenta da IBM, deve estar se perguntando: “WTF?!”

Imagine-se desenvolvendo um software com o Clearcase. A cada operação, você tem que esperar por volta de 4 segundos para que ela termine. Como você deve desbloquear cada arquivo que irá modificar, você (esperto) já vai fazer de cara o desbloqueio (“checkout”) para vários arquivo de uma vez! Com o tempo desta operação, você já pode abrir o Firefox e ler algumas notícias.

Mas não é só isso! Além da sua “incrível” agilidade, seu down-time (tempo que fica fora do ar) é muito alto, por mais que a equipe de administração da ferramenta seja compentente. Desta forma, você pode criar uma conta no WordPress e praticar um pouco a escrita. Este artigo, por exemplo, foi escrito e revisado durante o tempo livre que ganhei com a ferramenta :)

Desta forma, quando for escolher sua ferramenta de versionamento de código, escolha o Clearcase ao invés das ferramentas open source que funcionam bem e são ágeis (além de serem mais baratas). Nenhuma outra usa o paradigma Slow Down (algo como “diminua a velocidade”), o que faz muito bem para a saúde. Além disso, sua cultura geral e português irão melhorar bastante, te preparando para o próximo concurso público ;)

Update: Se você gostou deste post, não deixe de ler sobre a Carreira em Lambda!

Diferença entre Google, Apple e Microsoft

Ontem vi o impressionante vídeo de apresentação do novo produto da Google: Google Wave. Pensando sobre a forma como a Google quer (ou pelo menos diz que vai) desenvolver o produto, como um software livre (open source) e baseado em padrões abertos, comecei a imaginar como seria se outros gigantes de tecnologia trabalhariam se tivessem inventado o mesmo produto.

Google Wave (o caso real)

**wave_logo
**

  • Software livre;
  • Web, baseado em padrões aberto da W3C, tornando-se multi-plataforma (roda em qualquer navegador, sistema operacional ou dispositivo com um navegador, como o iPhone);
  • Comunicação baseada em protocolos abertos e criação de novos protocolos abertos para suportar as inovações;
  • Disponibilização de uma API para desenvolvimento de softwares de terceiros;

“Apple iWave”

  • Software proprietário;
  • Aplicativo para iPhone;
  • Protocolos de comunicação proprietários e protegidos por patentes;
  • Disponibilização de uma API para desenvolvimento, baseada no SDK do iPhone (que só roda no MacOS X);

“Microsoft Wave”

Para começo de conversa não acho que a Microsoft é inovadora o suficiente para criar algo do tipo, mas vamos abstrair isso.

  • Software proprietário;
  • Aplicativo desktop, que roda apenas no Windows – nova versão do MSN Messenger;
  • Protocolos de comunicação proprietários e protegidos por patentes, baseados no protocolo do MSN;
  • Inicialmente não há disponibilização de uma API para desenvolvimento, para posterior disponibilização de uma API feita na plataforma .NET (que só roda no Windows);

E então? Qual sua opinião sobre os casos acima? Você imagina outro cenário? Comente!

Task Coach: ótimo software de gestão de tarefas

Ultimamente tenho usado em meu trabalho um programinha muito interessante para medir gestão de tarefas: o Task Coach. Ele é livre, feito em Python (ou seja, multi-plataforma), bastante completo e simples de usar. Aí alguém vai perguntar: “mas qual é a diferença dele para o ótimo site Remember The Milk?” Remember The Milk é imbatível para tarefas que tem um prazo para serem concluídos, até por ser web, e estar disponível em qualquer lugar, e suas excelentes opções de notificação. Isso é algo que o Task Coach também faz, mas seu principal atrativo (na minha opinião) é contador de esforço.

O contador de esforço é algo especialmente importante no trabalho, pois nos permite ver quanto tempo estamos nos dedicando a cada tarefa. E seu funcionamento é muito simples:

  1. Na primeira vez que abrir o programa, feche a janela “Categories”;
  2. Clique no menu “View”, “New Viewer” e na opção “Effort” (é aí que as coisas começam a ficar interessantes);
  3. Se preferir (como eu), coloque a janela “Tasks” do lado esquerdo;
  4. Cadastre todas as suas tarefas (inclusive “Ler e-mail/Notícias no Google Reader” :);
  5. Para começar a contar o esforço, é só clicar no botão “Start tracking effort” (com ícone de um relógio);
  6. Para parar de contar, clique no botão ao lado “Stop tracking effort”;

Para ficar ainda melhor, vá em “Edit” -> “Preferences”:

  • Na seção “Window behavior”, habilite as opções “Hide main window when iconized” e “Minimize main window when closed”: isto fará com que ele fique sempre aberto, sem incomodar como uma janela aberta;
  • Na seção “Files”, habilite a opção”Auto save after every change”: isto fará com que ele salve as informações a cada ação.

Utilize como um software de produtividade pessoal  ao invés de pensar nela como “a arma que seu gerente precisava”. Ainda estou me acostumando a contabilizar corretamente todas as minhas atividades, mas a praticidade da ferramenta ajuda muito!

Cursos da SL-RJ no Free Software Rio 2008

O SLRJ, grupo do Software Livre do Rio de Janeiro, marcará presença na edição 2008 do Free Software Rio, que acontecerá nos dias 08 e 09 de Dezembro, no Centro de Convenções Bolsa do Rio, Praça XV de Novembro, 20 – Centro.

Como não poderia deixar de acontecer, estaremos  ministrando mini-cursos no local. A taxa de inscrição é de R$ 40,00 e será feita no dia do evento. O grupo disponibilizará ingressos gratuitos do evento para os inscritos nos mini-cursos. É uma grande oportunidade para que o público tenha contato com as mais variadas vertentes do Software Livre. Contamos com a sua presença!

Hora Dia 8 Dia 9
9h às 13h Introdução ao Python -
Luiz Guilherme Aldabalde
Inkscape -
Carlos Eduardo (Cadunico)
14h às 18h Shell Script -
Júlio C. Neves
Autoria de Aplicações Multimídia para TV Digital Brasileiro -
Rafael Carvalho